terça-feira, 21 de junho de 2011

21.06.2011 - Santiago Pai de Gabriela do Movimento (Gabriela Sou da Paz) visita e mostra gesto de Solidariedade aos Pais das vítimas da Escola Tasso da Silveira.

Na semana seguinte ao ataque da Escola Tasso da Silveira, Santiago pai vítima da violência no Estado do Rio de Janeiro criador do movimento (Gabriela sou da Paz) esteve com os familiares das vítimas de Realengo , apoiando e dando força aos familiares.
Santiago ficou impressionado com uma foto de Luiza Paula da Silveira (vítima fatal) igual a de sua filha Gabriela. A Associação agradece por todo apoio de Santiago e todas as pessoas que oram por nós pedindo a Deus para confortar nossos corações. Que Deus abençoe a todos!

21.06.2011 - APÓS 02 MESES DA TRAGÉDIA QUE ABALOU O BRASIL, PAIS SE JUNTAM E FAZEM UMA ORAÇÃO PRÓXIMO A ESCOLA TASSO DA SILVEIRA

NO DIA 07 DE JUNHO DE 2011, APÓS 02 MESES A TRAGÉDIA QUE RESULTOU NA MORTE DE 12 CRIANÇAS, PAIS, FAMILIARES E AMIGOS, SE UNIRAM EM GRANDE CORRENTE DE ORAÇÃO PRÓXIMO A ESCOLA TASSO DA SILVEIRA EM REALENGO. OS PROTESTOS SEGUNDO OS PAIS E AMIGOS IRÁ CONTINUAR TODO O DIA 07 DE CADA MÊS, PARA QUE ESSA TRAGÉDIA NÃO CAIA NO ESQUECIMENTO, TANTO PARA A IMPRENSA, QUANTO PARA AS AUTORIDADES DESSE PAÍS.

domingo, 19 de junho de 2011

21.06.2011 - Segundo Jornal O Dia, Homem que vendeu arma para atirador de Realengo será ouvido em audiência.

Rio - O segurança Manoel de Freitas Louvise, de 57 anos, será ouvido em uma audiência para instrução, na tarde desta quinta-feira, no Fórum de Jacarepaguá. Manoel é acusado de ter vendido a arma para Wellington Menezes de Oliveira, responsável pelo massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, quando 12 crianças foram brutalmente executadas.

Foto: Severino Silva / Agência O Dia
Parentes e amigos dos alunos cercaram a escola à procura de informações | Foto: Severino Silva / Agência O Dia
O homem foi preso no dia 14 de abril, dentro de casa em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na Divisão de Homicídios, ele confessou ter vendido o revólver calibre 38 para o Wellington por R$ 1,2 mil e que usou o dinheiro para consertar um carro. 


Manoel alegou não ter contato com o assassino, com quem trabalhou em uma fábrica e que vendeu a arma após insistência de Wellington que prometeu raspar a numeração da arma. Manoel afirma ainda que Wellington contou ter se mudado para Sepetiba e que a arma seria para sua defesa pessoal. A audiência do segurança começa às 15h.
Tragédia na Zona Oeste


Na manhã desta quinta-feira, 7 de abril, um jovem de 24 anos entrou na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, Zona Oeste da cidade, dizendo ter sido convidado para dar uma palestra aos alunos. Ele subiu três andares do prédio e entrou numa sala onde 40 alunos da nona série assistiam a uma aula de Português, abrindo fogo contra os estudantes com idades entre 12 e 14 anos.
Foto: Severino Silva / Agência O Dia
Parentes e amigos de vítimas se desesperam com tragédia em Realengo | Foto: Severino Silva / Agência O Dia


Testemunhas relatam um verdadeiro massacre. Wellington Menezes de Oliveira teria mirado contra a cabeça dos estudantes, com a clara intenção de matá-las. Quase trinta alunos foram baleados e mais de 10 morreram. Após o ataque, o assassino deixou uma carta de de teor fundamentalista no local. O texto continha frases desconexas e incompreensíveis, com menções ao Islamismo e até mesmo práticas terroristas. Em seguida, ele se matou dando um tiro na própria cabeça.


Alunos, professores e funcionários da escola acreditam que mais de cem disparos foram efetuados. Wellington, um ex-aluno do colégio, estava armado com dois revólveres e recarregou a arma durante a ação. O imenso barulho também assustou a vizinhança, que ainda ouviu os gritos de horror das crianças que, ensanguentadas, correram às ruas em busca de socorro.


Rapidamente uma multidão se formou em frente à escola. Em desespero, familiares e amigos tentavam ajudar as crianças e identificar as vítimas, ao mesmo tempo que tentavam entender os motivos do massacre.


O ministro da Educação, Fernando Haddad, considerou este um dia de luto para a educação brasileira. Com a voz embargada, a presidente Dilma Roussef se disse chocada e consternada com o episódio e, com lágrimas nos olhos, pediu um minuto de silêncio pelos "brasileirinhos que foram retirados tão cedo de suas vidas e de seus futuros".


Na última terça-feira, o juiz Carlos Eduardo Carvalho de Figueiredo, da Vara de Execuções Penais do Rio de Janeiro, determinou a expedição de mandado de prisão contra Edmundo. Segundo o advogado Arthur Lavigne, que representa Edmundo, o processo está prescrito desde 2007. "Em 2010, o Ministério Público reconheceu a prescrição e tanto a defesa quanto a acusação concordaram. O juiz, que é novo na Vara, entendeu que não havia prescrição. Não sei qual é a fundamentação dele. (...) Estamos todos surpresos, é uma decisão sem cabimento", disse Lavigne. Entretanto, para o juiz, ainda não ocorreu o lapso temporal exigido pela lei para prescrever a condenação, que no caso do ex-jogador é de 12 anos.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

17.06.2011 - Alunos da Tasso da Silveira em Realengo protestam em relação a tragédia das vitimas naquela escola. Somos todos nós, ninguém está alienado desse tipo de acontecimento. IMPORTEM-SE!

 


17.06.2011 - Dois meses após a chacina de Realengo, Ana Maria Braga recebeu no Mais Você desta quinta-feira, 16 de junho, a adolescente Thayane Tavares Monteiro, que sobreviveu ao triste episódio. Ela foi atingida por Wellington Menezes de Oliveira na cintura, no braço e no abdômen. A estudante ficou hospitalizada até esta semana. A adolescente foi ao programa acompanhada pela mãe, Andréia Tavares, e pelo namorado, Diego Henrique Gomes da Silva.

'Um colega me chamava e eu me fingia de morta', relata sobrevivente de Realengo
veja o vídeo neste link


Dois meses após a chacina de Realengo, Ana Maria Braga recebeu no Mais Você desta quinta-feira, 16 de junho, a adolescente Thayane Tavares Monteiro, que sobreviveu ao triste episódio. Ela foi atingida por Wellington Menezes de Oliveira na cintura, no braço e no abdômen. A estudante ficou hospitalizada até esta semana. A adolescente foi ao programa acompanhada pela mãe, Andréia Tavares, e pelo namorado, Diego Henrique Gomes da Silva.

Ana Maria contextualizou a tragédia em Realengo, contando que o programa estava no ar quando tudo aconteceu. Em seguida, ela recebeu na casa a adolescente Thayane acompanhada pela mãe e pelo namorado. Andréia contou que a filha estava impaciente no hospital, ela só pensava em ir embora depois de estar hospitalizada por 68 dias.

Especialista traçou o perfil do atirador e falou de possíveis traumas nos alunos

“Antes os médicos diziam que eu não iria mais andar, agora eles dizem que o melhor antibiótico é a fé. Eu consigo contrair o músculo”, contou a estudante. Thayane mostrou o braço atingido pelo atirador. Ela disse que um dos tiros na cintura atingiu sua coluna. “Ele saiu atirando em todo mundo, sem noção. Eu nunca tinha visto esse cara”, relatou ela.

“Os tiros eram de frente para a sala. Eu fiquei esperando ela sentada na mesa. Quando o cara bateu para entrar pela porta eu saí correndo. Ele viu e saiu atirando. Tinham 38 alunos na sala. Nove alunos, ao todo, foram feridos. O primeiro tiro eu não senti, quando eu fui atingida na cintura, eu me senti pequeninha. Eu tentava me levantar e não conseguia. Um colega do lado me chamava, eu me fingia de morta, ele morreu”, discorreu a estudante.

Ana Maria Braga questionou a estudante sobre suas perspectivas para o futuro. “Eu vejo que vou continuar sendo o que eu era antes. Vou volta a andar, vou fazer atletismo e frequentar a escola”, idealizou. A mãe da estudante contou que ela vive com a família em uma casa de 6,5 m por 7 m. “Eu botei uma cama improvisada para ela, mas ela reclama a noite toda, porque sente dores, e o colchão é fundo”, comentou, sobre a adaptação de Thayane.

Aluna sobrevivente contou detalhes sobre a tragédia em Realengo

Ao final da conversa, Ana Maria divulgou que o empresário de uma dupla sertaneja de Goiânia se interessou em ajudar Thayane com a manutenção da casa. “Tivemos uma reunião com o prefeito do Rio, e eu disse tudo que eu queria para a minha filha. Eu quero para ela o melhor tratamento. Ela estava estudando, ela não estava na bagunça. Porque se eu botar ela para trabalhar, eu vou ser punida”, desabafou a mãe.

Confira o que rolou no programa desta quinta-feira, 16

Patrícia Amorim, presidente do Flamengo, entrou em contato com a produção do Mais Você e disponibilizou toda a aparelhagem do departamento de fisioterapia do clube para Thayane. Cristine Paes, primeira dama do Rio de Janeiro, também entrou em contato com a produção informando que, com a ajuda de ONG´s, a casa de Thayane receberá todas as adaptações necessárias para que a menina tenha conforto.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Realengo: a última vítima recebe alta Thayane ficou 68 dias internada após levar 4 tiros. Ela não consegue andar, mas já tem [br]sensibilidade nas pernas

Recebeu alta no início da tarde de ontem a última vítima do massacre na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio, que ainda permanecia internada. Depois de passar 68 dias em dois hospitais da rede estadual, Thayane Tavares Monteiro, de 13 anos, vai continuar o tratamento e a reabilitação de movimentos em casa. Alvo de quatro tiros disparados pelo atirador Wellington Menezes de Oliveira, a menina sofreu lesão medular e não consegue andar.
De acordo com familiares, o prognóstico de Thayane é positivo. Ela já consegue mexer alguns músculos e tem sensibilidade nas pernas. Em entrevista ao site G1, a mãe da estudante, Andréa Tavares, disse que ainda não há um quadro definido e é cedo para dizer que a adolescente não poderá mais andar. "O médico disse que tudo pode ser reversível, porque ela é muito nova. Ele disse que o melhor antibiótico é a fé", disse Andréa.
Thayane passou quase dois meses no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, e estava internada no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), no centro do Rio, há 13 dias. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, a menina passou por cirurgia para retirada da bala na coluna. Ela foi avaliada pelo Centro da Coluna do Into e "a indicação médica determinada é o tratamento de reabilitação".
Ainda segundo a secretaria, a menina será acompanhada por equipe da Unidade de Atendimento Domiciliar por tempo indeterminado. "Ela vai receber tratamento multidisciplinar de reabilitação para sua independência funcional e suporte psicoterapêutico com fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia e enfermagem."
Massacre. Thayane foi uma das estudantes surpreendidas pelo atirador Wellington Menezes de Oliveira no início da manhã do dia 7 de abril. Doze alunos morreram e outros 12 ficaram feridos. Oliveira se matou logo depois de ser atingido por um disparo feito pelo policial militar Márcio Alves, que correu para a escola depois de ser alertado por estudantes.
Ex-aluno da instituição, Oliveira entrou pelo portão principal, alegando que precisava buscar seu histórico escolar. Após falar com uma professora, seguiu para as salas e começou a atirar. Em vídeos encontrados após o crime, o atirador afirmava que havia sido vítima de bullying quando estudou ali.

15.06.2011 - Última vítima de Realengo recebe alta. Veja vídeo Thayane correu risco de ficar paraplégica e agora já sonha em voltar ao atletismo


Rio - Na manhã de 7 de abril, a rotina de Thayane Tavares Monteiro, 13 anos, sofria uma trágica interrupção. Foi só a partir de ontem — mais de dois meses após ser atingida por tiros no braço, abdômen e cintura por Wellington Menezes de Oliveira, na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo — que ela pôde voltar a sonhar com as aulas de atletismo, o curso de inglês e a sopa de ervilha da avó Janete. Thayane foi a última vítima do massacre a receber alta hospitalar. Deixou no início da tarde o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia.
No retorno para casa, onde amigos e as irmãs Thaynara, 7, e Thamyris, 12, a esperavam, as marcas da violência continuavam expostas na memória e corpo da menina, que chegou a correr o risco de ficar paraplégica, mas agora ainda tem chance de voltar a caminhar.

“No hospital, teve um dia que ouvi som de balões estourando e pensei que fossem tiros”, relatou a aluna da sala 1.801, a segunda a ser invadida pelo atirador, que matou 12 crianças durante o ataque. “Vou fazer de tudo para voltar a andar”. Segundo a mãe, Andréia Tavares, Thayane receberá, em casa, aulas particulares de professores da Escola Tasso da Silveira até o final do ano.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

06.06.2011 - POR MOTIVO DE FORÇA MAIOR, A PASSEATA QUE IRIA OCORRER NO CENTRO DO RJ EM PROTESTO A SEGURANÇA NAS ESCOLAS, FOI CANCELADA PELOS PAIS DAS VÍTIMAS FATAIS, QUE AMANHÃ DIA 07/06/2011 COMPLETA DOIS MESES QUE FORAM ASSASSINADAS NA ESCOLA MUNICIPAL TASSO DA SILVEIRA EM REALENGO.

PASSEATA PELA PAZ NO CENTRO DO RIO DE JANEIRO
POR MOTIVO DE FORÇA MAIOR, A PASSEATA QUE IRIA OCORRER NO CENTRO DO RJ EM PROTESTO A SEGURANÇA NAS ESCOLAS, FOI CANCELADA PELOS PAIS DAS VÍTIMAS FATAIS, QUE AMANHÃ DIA 07/06/2011 COMPLETA DOIS MESES QUE FORAM ASSASSINADAS NA ESCOLA MUNICIPAL TASSO DA SILVEIRA EM REALENGO.
MAIORES EXCLARECIMENTOS FAVOR LIGAR: 21 8769-8499 (ADRIANA - PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS DOS ANJOS DE REALENGO)

Contatos:
osanjosderealengo@gmail.com
(adriana - mãe da Luiza Paula)
Telefone: 21 8769-8499

quinta-feira, 2 de junho de 2011

02.06.2011 - REALIDADE EM QUE VIVEM OS PROFESSORES DE NOSSO PAÍS E ISSO SE REFLETE EM SALA DE AULA COM NOSSOS FILHOS

Vocês já conhecem a professora Amanda Gurgel? Cliquem no link abaixo e não deixem de ver o que esta professora fala. É tudo aquilo que passamos no dia-a-dia. Ela silencia Deputados e garanto que vocês irão se emocionar com ela. Pessoal, vamos lá, temos que apoiar esta corajosa professora. Não deixe de assistir, por favor!!!!